Controle Interno

Inicialmente, as empresas eram controladas apenas por seus proprietários, que verificavam todos os fatos ocorridos em sua rotina. Mas, com o crescimento do negócio e o aumento de complexidade das operações, tornou-se inviável esse controle exclusivo. O controle interno é uma grande barreira ou falta de cultura enfrentada pelos empresários dentro de suas entidades ao qual não se ver no cotidiano. Mas o que é esse Controle Interno, nada mas é que um conjunto de procedimentos adotados de forma permanente e por todos os setores de uma entidade qualquer, cada qual com seu grupo específico de processo. Vou ser mais claro digamos que o governo federal dite uma lei dizendo que todas as empresas seriam Auditadas em todos os setores, tais como, setor de compra e venda, financeiro, contábil, gerencial, produção, etc., você hoje estaria preparado para apresentar esses relatórios ao auditor federal ou estadual? Vamos ser mais específicos você sabe quanto sua empresa lucra em um certo produto ou serviço?

O controle interno te dá a garantia que a engrenagem de sua entidade esteja girando numa conformidade que te garanta uma tranquilidade para algum sinistro, que você tenha ciência sobre todos os seus setores, aos quais, todos eles emitam relatórios gerenciais e de controle para uma tomada de decisão mais consciente, pois quaisquer fatos fora da normalidade com seus relatórios e o sistema de informações integrado entre os setores, tudo isso se torna mais fácil você superar e resolver problemas operacionais e administrativos. Para se ter um Controle Interno com grande eficiência você deve conhecer toda a sistemática de sua empresa, objetivos a serem alcançados, está provido de um quadro de colaboradores qualificados para tal ocupação, sistemas informatizados e integrados, reuniões para tomada de decisões com os responsáveis dos setores, basicamente seria esses a base de um controle interno.

Para que essa engrenagem gire teremos que nos conscientizar e colocar em prática essa gestão interna deixando que tudo esteja trabalhado livremente sem nenhum tipo de interferência externa,

pois os empresários têm costume ou cultura que por ser sócio-administrador ou titular de uma empresa tenham total liberdade de fazer o que quiser em suas empresas sem nenhum tipo de consequência. Na contabilidade temos o “Princípio da Entidade” ele determina que o patrimônio da pessoa física e o da pessoa jurídica não se misturam, a empresa ela tem vida própria, digamos que a empresa seja um corpo humano dai você diz assim: “vamos tirar o coração e colocar no lugar do cérebro” sem nenhuma base ou estudo que confirmem que posso fazer tal movimentação, isso não dará certo, por isso temos que deixar que o curso gerencial de sua empresa trabalhe livremente com análises, estudos e tomadas de decisões embasadas por relatórios gerenciais dos setores para uma total confiança das atitudes que tomarão.

Rodrigo Gomes de Azevêdo

Contador

Imagem: Blogjfgranja.com.br

Jornal de Parnamirim

Notícia anterior

COVID: JACÓ JÁCOME SOLICITA APOIO PARA MODIFICAR A LEI SOBRE TEMPLOS RELIGIOSOS

Próxima notícia

Coordenadoria do Trabalho convoca trabalhadores para retirarem a CTPS

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *