Queiroga crê que pandemia deve se tornar endemia no fim do trimestre: “Temos que trabalhar muito para isso”

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ponderou nesta sexta-feira (4/2) a possibilidade de a pasta “rebaixar” a pandemia da Covid-19 a uma endemia. A declaração foi dada em agenda em Pilar (AL).

“Fortalecemos nosso sistema de saúde, fortalecemos os hospitais, ampliamos as vagas de terapia intensiva e melhoramos a remuneração. Com isso, já projetamos um ambiente melhor para o nosso país, para, até o fim desse trimestre, quem sabe, rebaixar a pandemia para o grau de endemia, como está acontecendo na Europa. Mas temos que trabalhar muito para isso”, afirmou.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença e o termo passa a ser usado quando uma epidemia, surto que afeta uma região, se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

Já a endemia ocorre quando a doença é recorrente em uma determinada região, mas não há um aumento significativo no número de casos e a população convive com ela. Um exemplo é a dengue, tem caráter endêmico no Brasil.

Queiroga também aproveitou a oportunidade para criticar os governadores membros do Consórcio Nordeste. “Todas as 430 milhões de doses contra a Covid-19 foram adquiridas e distribuídas pelo governo federal. Tem um consórcio de governadores que falou que iria distribuir vacinas. Cadê essas vacinas?”, questionou.

Foto: Marcelo Queiroga/Agência Brasil

Metrópoles

Jornal de Parnamirim

Notícia anterior

MEC divulga cronograma da nova edição do Sisu, com 221,7 mil vagas

Próxima notícia

FNF acata recomendação do MP para torcida única em clássicos entre ABC e América

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *